Centro de Ciências Humanas e Naturais

Tenho um aluno surdo, o que devo fazer?

Sabemos o quão desafiador pode ser receber um aluno surdo em sala de aula. Muitas dúvidas podem surgir e com aulas à distância as dificuldades parecem ser maiores ainda. Por isso, o Setor de Tradução está à disposição para qualquer questão que surgir envolvendo esses alunos. Teremos prazer em conversar com você e pensarmos juntos estratégias que contemplem as necessidades desses estudantes, sempre visando o melhor aproveitamento das aulas.

Nesse sentido, lembrar-se das dicas a seguir pode ser de ajuda:

Lembre-se de enviar o link da aula aos intérpretes com antecedência. Usar o mesmo link em todas as aulas facilita tanto para nós quanto para os estudantes. 

Nos envie/dê acesso aos textos e vídeos que serão usados na aula. Isso facilita muito o processo de tradução;

Antes de começar a aula, certifique-se que os intérpretes já estejam presentes. Assim como vocês, nós também estamos usando internet e equipamentos pessoais para as aulas. Por isso, falhas na conexão e outros problemas podem surgir;

Confirme que o aluno está visualizando bem a você e o intérprete. Nem sempre a plataforma Google Meet permite ao aluno visualizar bem o professor, o intérprete e a apresentação, especialmente em acessos pelo celular;

Durante a aula, reserve uns minutos para que o aluno surdo tenha tempo de fazer a leitura dos slides e anotações. Durante todo o processo, ele estará olhando para o intérprete;

Os estudantes surdos, assim como os outros, tem autonomia para decidir se vão abrir a câmera ou não. Os intérpretes não exigem que o aluno abra a câmera;

Caso a conexão fique ruim peça os outros alunos que fechem seus vídeos. Priorize os intérpretes com as telas abertas para que a conexão das aulas fique com melhor qualidade, na maioria das vezes se existirem muitas telas abertas ao mesmo tempo a tela dos intérpretes trava e o surdo perde praticamente todas as informações das aulas. 

Sabemos que alguns professores já estão acostumados com a presença tanto dos alunos quanto dos intérpretes nas aulas, mas revisitar essas orientações sempre é positivo. É importante lembrar também que as atividades devem sempre iniciar e terminar no horário pré-estabelecido. Isso porque em alguns dias, os intérpretes saem de uma aula e entram em outra na sequência. Se a aula de um professor atrasa o término, acaba prejudicando o aluno que será atendido depois.

Caso desejem contatar o Setor de Tradução, o email é interprete.libras [at] ufes.br ou entre em contato direto com a coordenação (joyce.baiense [at] ufes.br).

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910